Sobre_ ALI_SE
_
a árvore ao jardim
Alice Valente Alves

Ensino tendencioso

A Faculdade é que é tendenciosa quando adverte alunos à não crítica em seus trabalhos e apresentações escritas, na repreensão do aluno sempre que este expõe ou manifesta a sua ideia, pensamento ou opinião, dizendo-lhe que assim está a tornar o seu texto ou trabalho, tendencioso. 


Quando professores ensinam este estar, mal estará essa mesma sociedade. 
E neste estar, há muito professores que ensinam e alunos que aprendem, com toda a normalidade. Com este estar tudo está a ser formatado, a tornar-se igual e a banalidade a instalar-se ferozmente. E o desinteresse generaliza-se de tal forma, que muito certamente nem os professores irão ler com o devido cuidado os textos, porque saberão de antemão o que lá estará escrito, só lerão na diagonal, é simples. E nem os alunos se interessarão porque não poderão mostrar e desenvolver as suas ideias. Assim, vai-se para a faculdade por uma aparência que se institucionalizou e a fingir que se vai aprender a ser-se bem-sucedido, e não como seria de esperar e em sua crucial função, no desenvolvimento das capacidades que cada pessoa ou aluno possui, para marcar a diferença ou para que o futuro seja uma realidade por dignidade, descoberta e encanto. 

E os alunos têm vindo a aceitar esta moda ou fingimento, e os pais igualmente têm incentivado esta tendência, é preciso ter boa nota e ser-se bem visto perante o professorado e a sociedade, de modo a ter-se um qualquer futuro e a ser-se o mais inclusivo possível nesta sociedade de cidadãos acríticos e do faz-de-conta, em sociedade esta cada vez mais assente num atroz fascínio e ao acato do que o consumo a possa satisfazer. Pensar cada um por si, não vale de nada, aliás pouco interessa, e esses que o fazem são mais que marginalizados e o pior é, quando se automarginalizam, numa total aceitação e resignação do que está mal. 


Se és irrequieto, desobediente ou introvertido, a escola e o ensino não são para ti. E para que possas continuar nessa mesma escola e em sua sociedade terás de entrar na normalidade vigente e só assim serás mais um entre os muitos que se querem bem-sucedidos. E como tal há que ser vencedor e apoiar os vencedores, e para que assim seja, terás de alterar teus comportamentos, e para isso terás a ajuda de todos os instrumentos que o sistema dispõe e que são mais que muitos, e o remédio é santo, podes crer e nem que te tornes num coitadinho (bem-sucedido). E lá serás então, mais um entre os muito obedientes que para aí pairam nos hábitos de se fazerem à vida pela imitação de um miserável e proveitoso sucesso à vista. 


Só que a vida não só essa coisa de se aprender assim, em aparências e falsidades. A vida e a dignidade de se estar vivo a olhar os outros com respeito, é muito mais do que essa coisa de se ser vencedor custe o que custar em terra que constrói impondo inimigos a si próprio. Oh mas que inteligência essa, tão altamente cordial quanto de tão propositadamente artificial.


E a crise aí está para reinar, pelos muitos que ainda se atém à obediência de um mal que os dita e rege por uma obrigatória disposição ao não-vómito. Mas a qualquer instante, o tal incómodo momento surgirá e de tal forma, a nos termos de aliviar de vez dessa indisposição e em seu derradeiro vómito.



LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Páginas